Octavia Spencer, Viola Davis e Emma Stone em cena de "Histórias Cruzadas"

Se o compararmos aos demais indicados ao Oscar de melhor filme deste ano perceberemos que “Histórias Cruzadas” é essencialmente simples. Não há grandes surpresas ou recursos espetaculares na forma como o diretor Tate Taylor adaptou o best seller “The Help”, da escritora Kathryn Stockett. No filme, o destaque fica por conta da própria história contada, bem como das suas personagens.

“Histórias Cruzadas” mostra o cotidiano das empregadas domésticas negras que criavam os filhos das famílias brancas no Mississipi dos anos 1960, tempo em que a segregação racial era garantida pela lei e em que aqueles que se manifestassem publicamente a favor da igualdade entre negros e brancos estariam sujeitos à prisão.

O filme, que se passa em Jackson, a capital do Mississipi, nos apresenta a três mulheres:  Skeeter (Emma Stone, Amor a toda prova), Aibileen (Viola Davis, Confiar) e Minny (Octavia Spencer). Skeeter é uma jovem que acaba de se formar na universidade e sonha em ser escritora. Ela consegue o seu primeiro emprego no jornal local e sua função é escrever sobre tarefas domésticas. A jovem, que nem sequer pensa em se casar e nada sabe sobre o assunto, pede ajuda a Aibileen, que trabalha como empregada para uma típica família branca sulista. Mas o que, de início, era apenas um pedido de ajuda com a coluna para o jornal local, logo evolui para um pedido de ajuda mais ambicioso: Skeeter tem a ideia de escrever um livro por meio do qual as empregadas domésticas da cidade pudessem contar as suas histórias. Sua inquietação vem da vontade de dar voz àquelas mulheres, de saber como elas se sentem “criando uma criança branca sabendo que seus filhos estão em casa sendo criados por outra pessoa”.

Depois de conseguir a colaboração de Aibileen, o desafio é fazer com que outras colaborem. Compartilhar suas histórias não era, para aquelas mulheres, uma tarefa fácil. Havia o medo da perseguição numa época em que a Ku Klux Klan ainda era forte, o medo de perder o emprego e o medo de serem castigadas pelas malvadas patroas. Mas o filme emociona justamente porque, diante de todos esses obstáculos, evidencia a solidariedade e mantém o foco no sentimento de irmandade necessário para superá-los.

“Histórias Cruzadas” é uma produção da Disney e, como tal, traz muitas características comuns a este estúdio: a vilã, Hilly Holbrook (Bryce Dallas Howard), em certos momentos parece prestes a assumir a forma de uma bruxa má de contos de fadas. Além disso, mesmo explorando um tema delicado, o filme abre espaço para a comédia, que fica por conta da carismática e impulsiva Minny e de uma de suas patroas, a forasteira Celia Foote.

As personagens de Minny e Celia Foote renderam às suas intérpretes, Octavia Spencer e Jessica Chastain, indicações ao Oscar de melhor atriz coadjuvante. Viola Davis, por sua vez, obteve uma indicação para a categoria de melhor atriz. De fato, embora Emma Stone esteja bem como protagonista, são essas atrizes os grandes destaques do filme.

*Saiba mais sobre Histórias Cruzadas

Tags: