Neste fim de semana estreia O Homem de Aço, um novo recomeço nos cinemas para o heroi dos quadrinhos que já tem 75 anos de existência. Com uma “carreira” tão longeva é de se esperar que o personagem já tenha sido representado de diferentes maneiras ao longo dos anos, assim lembraremos cinco quadrinhos interessantes envolvendo o personagem. Foi um exercício difícil e muita coisa boa acabou ficando de fora, mas vamos a elas.

5) Entre a Foice e o Martelo

Nsuperman5INT3

Escrita por Mark Millar para o selo Elseworlds, que colocava os personagens DC em universos alternativos e explorava o que aconteceria com os personagens se vivessem circunstâncias diferentes. A história publicada originalmente em 2003 tenta explorar como seria o mundo se a nave levando o Superman tivesse caído na antiga União Soviética ao invés dos Estados Unidos. Além do modo inteligente que Millar usa a premissa para mostrar como isso afetaria outros personagens DC como Batman, Mulher Maravilha ou Lanterna Verde, o interessante é ver aqui como o Superman realmente desequilibraria a balança do poder mundial caso jurasse lealdade cega a um único governo. O comunismo se espalha pelo mundo e então um vaidoso e egocêntrico Lex Luthor decide se dedicar a restaurar os Estados Unidos do estado de frangalhos que se encontra e deter o domínio do Superman, cujo embate final traz resultados surpreendentes.

4) O Homem de Aço

supes18jpg-50e4b4_610w

Escrita e desenhada por John Byrne e publicada originalmente em 1986, a minissérie dividida em seis partes tinha o objetivo de recontar as origens do personagem no período pós Crises nas Infinitas Terras. A chamada Era de Prata da DC tinha acabado e com isso, Byrne apresentou uma visão menos idealizada do personagem. Assim como no recente e homônimo filme, Krypton é apresentada como um planeta estéril, dominado por uma população emocionalmente fria e distante. A jornada do Superman para se tornar um heroi já não era mais tão simples, não bastava ele aprender sobre suas origens e vestir um uniforme, a partir daqui começamos a ver o quanto aquilo significava para Clark e o peso e sacríficio pessoal que pendiam sobre ele ao aceitar seu destino como Superman.

3) O Que Aconteceu Com o Homem de Aço?

supes3jpg-50e4af_610w

Escrita pelo papa dos quadrinhos, Alan Moore, em 1986 a história marcou o fim do Superman da Era de Prata e pré Crise nas Infinitas Terras, abrindo caminho para o recomeço do personagem nas mãos de John Byrne. A narrativa é chamada de “uma história imaginada” sobre como seria o fim do Superman deste período. O quadrinho é narrado pois Lois Lane dez anos depois da “morte” do Superman em seu embate final com alguns de seus piores inimigos. É um final trágico e agridoce para as histórias leves e despretenciosas que marcaram a Era de Prata, mas é impressonante como em uma única história Moore consegue incorporar os principais elementos do período e fazer uma respeitosa homenagem a eles.

Obs: Esta história foi publicada inicialmente no Brasil como Superman: O Adeus, mas em republicações posteriores recebeu uma tradução mais fiel ao título original.

2) Para o Homem que Tem Tudo

supes2jpg-30b46b_610w

Mais uma do barbudo Alan Moore. Desenhada por Dave Gibbons e publicada em 1985 (e adaptada em 2004 para um episódio da animação Liga da Justiça Sem Limites) a história começa com Batman, Robin e Mulher Maravilha viajando até a Fortaleza da Solidão para comemorar o aniversário do Superman e levar seus presentes, mas chegando lá encontram ele em transe, com uma planta alienígena presa ao seu peito. A planta fora um “presente” do vilão Mongul e uma vez presa a um hospedeiro ela o mergulha em uma ilusão onde ele vive aquilo que mais deseja. A narrativa mergulha na psique e personalidade de todos os personagens envolvidos, incluindo Mongul, mas o foco é mesmo no Superman e nos seus desejos mais íntimos. Na sua ilusão vemos que aquilo que seu coração mais almeja não é a paz mundial ou o casamento com Lois Lane, mas uma vida normal em Krypton, convivendo com seus pais e criando sua própria família sem o peso de um mundo para salvar. Ainda assim, sabendo de sua responsabilidade, o Superman consegue se dar conta de que está vivendo uma ilusão e o momento em que ele se dirige ao filho e diz que ele não existe revela o quanto lhe dói e o quanto deseja que tudo fosse verdade.

Obs: A história foi inicialmente publicada no Brasil como O Homem Que Tinha Tudo, sendo modificada em relançamentos posteriores.

1) Grandes Astros Superman

supes1jpg-50e4ae_610w

Série publicada em doze volumes e lançada no Brasil entre 2006 e 2010. Escrita por Grant Morrison e desenhada por Frank Quitely esta é a história do Superman que resume todas as histórias do personagem. Uma obra-prima que celebra as mais de sete décadas do legado cultural do personagem e um triunfo das histórias em quadrinhos enquanto arte e narrativa. Morrison conta aqui a história épica de um Superman prestes a morrer devido ao excesso de energia solar acumulada em suas células e suas últimas preparações para seu inevitável fim em “12 Trabalhos”, obviamente o paralelo com a mitologia não é toa e todo arco narrativo do personagem remete ao de um herói mitológico. Mais do que uma narrativa competente, os autores conseguem explorar com sensibilidade e inteligência cada faceta e personagem que compôs o universo do azulão ao longo dos anos. O ponto alto é o décimo volume onde vemos o tocante momento em que ele resgata uma garota prestes a se suicidar e abraçando-a lhe diz “Você é muito mais forte do que pensa. Confie em mim”. Neste volume o Superman também cria uma simulação de como seria a Terra se ele não existisse e vemos a criação dos heróis da mitologia, Nietzsche (tive de jogar no Google para escrever certo) e seu übermensch e, é claro, dois jovens adolescentes desenhando um personagem com um S no peito, mostrando que a humanidade sempre criou “super-homens” ao longo de sua trajetória.

Bem, é isso, ainda há muitas outras boas histórias do personagem, mas são essas cinco as que mais me marcaram. O que acharam? Que outras histórias vocês listariam? Deixem suas opiniões nos comentários abaixo.

Tags: ,