A cantora, e recente mamãe, Beyoncé acaba de ganhar uma disciplina que estuda a sua influência na posição da mulher na cultura mundial.  A Politização de Beyoncé, faz parte do currículo do curso de Estudos Feministas e de Gênero da Rutgers University, situada no estado de Nova Jersey.

Na disciplina as letras das suas canções, seus vídeos clipes e a forma como a cantora se expõem na mídia fazem parte do conteúdo. Confira pedaços da ementa da disciplina:

“A música e a carreira da cantora são usadas como lentes para explorar a política sexual, racial e de gênero nos Estados Unidos.”

“Os tópicos do curso incluem a extensão do controle de Beyoncé sobre sua própria imagem, seja com seu frequente corpo semi-nu visto como poderoso ou estereotipado, e suas mais sensuais performances como seu alter-ego, Sasha Fierce.”

“O curso ainda inclui discussões em classe que frequentemente levam aos nomes de outras vocalistas, como Billie Holiday, Nina Simone, Lady GaGa, e algumas musicistas contemporâneas que abraçaram a tradição do canto da música soul como Adele e a saudosa Amy Winehouse.”

Para quem não sabe, Beyoncé não é a primeira cantora pop a ser estudada em uma disciplina, no primeiro semestre do ano passado, em “Lady Gaga e a Sociologia da Fama”, da Universidade da Carolina do Sul, era possível analisar a repentina projeção que a cantora, que leva seu nome na matéria, obteve. O diretor do curso, Matthieu Deflem, justificou a disciplina da seguinte forma: “O caso da fama de Lady Gaga é sociologicamente pertinente como objeto de estudo em relação à cultura popular e às condições atuais da celebridade”.

Tags: ,