A eleição, dia em que o maior número de brasileiros vai à escola, como sempre é marcada por fatos inusitados. Enquanto um sujeito faz xixi em plena cabine de votação, 1,4 milhão de outros sujeitos fazem merda no mesmo local. Perdoe-me a linguagem um tanto pesada, mas é a realidade. O que passa na cabeça de um sujeito ao votar num palhaço declarando ser o seu “voto de protesto”?

Protesto: expressa uma reação solitária ou em grupo, de caráter público, contra ou a favor determinado evento. Os manifestantes organizam um protesto como uma maneira pública de que suas opiniões sejam ouvidas em uma tentativa de influenciar a opinião de outras pessoas ou a política do governo, ou podem empreender a ação direta tentando, elas mesmas, decretar diretamente as mudanças desejadas. (salve Wikipedia \o/ )

Mudança, é nesse ponto em que quero focar. Com o criativo slogan “Pior do que tá não fica”, Francisco Everaldo Oliveira Silva (o Tiririca), foi eleito Deputado Federal pelo PR em São Paulo com quase 1,4 milhões de votos, tornando-se o candidato mais votado do Brasil nessas eleições e o segundo mais votado da história das eleições. Meio contraditório, não acha? Um povo que quer mudança, mas ao mesmo tempo segue o dircurso conformista de um partido – sim, se ele manteve essa postura durante toda a campanha, tenha certeza que o partido assina em baixo – sem saber o que está por trás de toda essa palhaçada.

Para ser mais exato, Tiririca obteve 1.353.820 votos. Sua sobra, de 1,049 milhão de votos, foi suficiente para a coligação PRB / PT / PR / PC do B / PT do B eleger mais três deputados federais, os últimos a preencher as 24 vagas a que a coligação teve direito: Otoniel Lima (PRB-SP), delegado Protógenes (PC do B-SP) e Vanderlei Siraque (PT-SP) todos os três envolvidos em escândalos de corrupção, fraude processual, nepotismo e acesso a informações sobre segurança pública, veja clicando aqui >> aqui >> e aqui também.
Pode parecer clichê, mas não há nada contra o Francisco Everaldo Oliveira Silva, nem mesmo ao humorista Tiririca da televisão e isso também já foi dito aqui, aliás, ele é um dos poucos que ainda divertem os programas de humor em tempos de Zorra Total e A praça é nossa. O problema está na postura adotada na política, que deveria ao menos ser séria e com propostas concretas, e com Tiririca, de concreto, só cimento (palavras dele).
O que vimos ontem não foram milhões de pessoas votando no “abestado”, foram milhões de “abestados” votando no Tiririca (que por sinal é bem esperto). O analista político Fernando de Barros e Silva estava totalmente certo, Tiririca funcionou perfeitamente como um “biombo”. “Atrás dele, vão vir os verdadeiros artistas do circo fisiológico”, é esperar pra ver.
Uma das várias Twittadas que vi ontem durante a apuração dos votos. Resume bem a realidade política.

 

Veja também“O Tiririca depois da eleição”- blog fiapo de jaca

__________________________________

Fontes, dados e inspirações:

Blog Estadão (política) – José Roberto de Toledo

Tags: